Arraial do Cabo: o melhor da Região dos Lagos

Que saudades de Arraial do Cabo! Já faz quase 1 ano desde a nossa viagem para aquele paraíso! Se me perguntassem pra onde eu voltaria, com certeza seria direto para lá. Dos três lugares que conhecemos na Região dos Lagos, sem sombra de dúvidas, Arraial do Cabo foi o nosso favorito.

Veja os posts sobre Armação de Búzios e Cabo Frio também.

No vídeo abaixo mostramos como foi nossa visita ao lugar! Não se esqueça de se inscrever no nosso canal. <3 E quem quiser saber mais detalhes da viagem é só continuar lendo o post abaixo.

Pôr do Sol da Praia Grande

Depois de uma passada rápida por Cabo Frio, chegamos no hostel que reservamos com antecedência, deixamos nossas coisas e corremos para a praia mais próxima para tomar um banho de mar.

Quando pesquisei sobre o que fazer em Arraial do Cabo, quase nenhum lugar citou essa praia. Confesso para vocês que foi a minha favorita, não porque ela é a mais bonita, não. Porque de fato não é, as Prainhas do Pontal do Atalaia e a Praia do Forno são mais paradisíacas. Mas a Praia Grande era perto do Hostel, tem fácil acesso e, como o próprio nome diz, por ser grande tinha espaço suficiente para mergulhar à vontade.

Depois, voltamos rapidinho para o hostel para trocar de roupa e contemplar o pôr do sol num quiosque de frente para a praia. Vale muito a pena e é bem mais fácil de chegar nessa praia.      

Passeio de Barco
Mesmo que você não curta passeios de barco, acredito que em Arraial do Cabo seja algo imprescindível, já que as praias mais bonitas como as famosas “Praias” só é possível o acesso por barco ou carro. Fechamos o passeio com a Arraial Vip Turismo ()https://www.facebook.com/arraialvipturismo/), (R$ 60 reais por pessoa), logo no primeiro horário da manhã, por volta das 8h. O hostel onde estávamos hospedados era próximo à saída dos passeios, então fomos caminhando.

Estava uma serração como se o dia fosse ficar fechado, mas o pessoal do passeio nos tranquilizou: “névoa baixa é sol que racha”. Essa névoa atrapalhou um pouco o início do passeio, não deu para contemplar a vista. Mas a primeira parada foi na  Praia do Farol e ainda estava vazia de turistas por lá. É um local protegido pela Marinha que controla a quantidade de pessoas por lá que também é uma praia acessível somente por barco.

A água de lá é extremamente cristalina e preservada, por isso não é autorizado desembarcar com sacolas, comidas e bebidas.

 
Entre uma parada e outra vimos muitas tartarugas!! Aí, gente, que emoção ver essas belezinhas nadando em alto mar. Também passamos pela Fenda de Nossa Senhora, Gruta Azul, Gruta do Amor, Cratera do Meteorito e Pedra do Macaco.

A segunda e última parada foi nas prainhas do Pontal do Atalaia, onde tem aquela famosa escadaria com cerca de 200 degraus de madeira. Claro que tivemos que subir e descer, mas fica a dica: em dias de sol, não vá sem chinelo, tivemos que correr para subir e descer de tão quente que estava. hahaha Ficamos um tempinho por lá e depois voltamos para o local onde embarcamos, na Praia dos Anjos.


Como o passeio não contemplou a Praia do Forno, decidimos pegar a trilha que tem acesso à praia, ela é bastante íngreme, mas vale a pena pela vista que tem do alto da praia. É lá que tem a famosa pedra onde todos tiram fotos sentados. Chegamos na praia e estava muuuuuito lotada! Tomamos um banho de mar rapidinho e voltamos correndo para o hostel, porque queríamos ficar tranquilos na Praia Grande.



Art Hostel

O hostel foi uma surpresa para nós, o quarto era simples, mas a área  comum externa era uma delícia. Lá tinha uns lugares para ficar deitado e umas luzes deixavam o clima bem aconchegante, junto a uma lanchonete vegetariana com músicas muito agradáveis. Ficamos algumas horas lá embaixo, deitados olhando para o céu e descansando. Já que Arraial do Cabo não tem vida noturna, vale muito a pena se hospedar em lugares que dê para curtir a noite, e foi o que fizemos.
Não temos do que reclamar do Hostel, duas diárias para o casal custou apenas R$ 430, lembrando que era fim de ano. O dono é muito gente boa e nos deu todas as dicas do que fazer por lá, até mesmo indicou o pastelzinho do boteco da rua que eram maravilhosos. 

Jornalista, 28 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *