O que fazer em Curitiba, Paraná, em apenas um dia

Sabe aquele vontadezinha incontrolável de viajar? Então! Resolvemos fazer uma pequena viagem em um fim de semana para Curitiba, de carro! Loucura? Mais ou menos. Se formos esperar por feriados, férias etc, dificilmente conheceríamos lugares assim. Os planos sempre são adiados e não saímos da nossa “bolha”. Afinal, viajar agrega conhecimento e muitas histórias para contar.

Fazemos essas viagens para conhecer lugares e definir onde voltaríamos para ficar mais dias. De carro o a viagem se torna um pouco cansativa e corrida, porém ela é capaz de nos relaxar e nos faz esquecer um pouco dos problemas.  Mas fica o alerta: é importantíssimo uma boa pesquisa pré-viagem, como o que fazer, quanto irá gastar, endereços etc; quanto mais informações, melhor. A ideia deste post é colocar um roteiro bem fácil. É entrar no ônibus sem se preocupar com muita coisa.

Ônibus turístico

Ônibus Turístico de Curitiba - Foto: ExperiMenteSP
Ônibus Turístico de Curitiba – Foto: ExperiMenteSP

Paramos o carro em um estacionamento no centro próximo à praça Tiradentes, onde fica o ponto de ônibus de turismo. A previsão é que tenha um ônibus a cada meia hora, e isso também se aplica a cada parada. O passeio completo dura em torno de 2 horas sem descer em nenhuma parada. E entre 5h ou 6h se vocês descer em quatro paradas que tem direito.

O ticket é vendido pelo cobrador do ônibus e custa R$40,00, o pagamento é feito apenas em dinheiro. A cada ônibus que você pega, eles destacam um ticket.  Essa opção é muito boa para conhecer Curitiba, pois não precisamos nos preocupar com transporte, endereços e nem nada, é só entrar no ônibus e descer nos pontos escolhidos e, para continuar o caminho, pegar outro ônibus no mesmo lugar que você desceu.

Abaixo, as paradas que optamos conhecer, são as mais populares. Veja todas as 25 paradas aqui.  

Jardim Botânico

Jardim Botânico de Curitiba - Foto: ExperiMenteSP
Jardim Botânico de Curitiba – Foto: ExperiMenteSP

Parada obrigatória para quem nunca foi a Curitiba! Inaugurado em 1991, em homenagem a urbanista  Francisca Maria Garfunkel Rischbieter,  hoje é uma das paisagens mais famosas e ilustra os cartões postais da cidade.

Com um jardim bem colorido e uma grande estufa metálica ao estilo art-noveau enche os olhos dos turistas, mesmo em dias nublados. Por dentro, a estufa parece ser bem menor do que visto de fora e é repleta de plantas da mata atlântica, porém a graça mesmo fica por conta do visual externo. Vale a pena sentar um pouquinho e ficar admirando tanta beleza.

Museu Oscar Niemeyer

Museu Oscar Niemeyer - Foto: ExperiMenteSP
Museu Oscar Niemeyer – Foto: ExperiMenteSP

Como o tempo estava curto, vimos o museu, conhecido como Museu do Olho, apenas pelo lado de fora. Não entramos para ver as exposições, principalmente a exposição de quem dá o nome ao  MOM – Museu Oscar Niemeyer. Mas valeu a pena a parada, a arquitetura do museu é de causar espanto por sua grandiosidade e perfeição.

Aproveitamos a parada para almoçar numa feira gastronômica que fica em frente ao museu. Nos esbaldamos com as batatas fritas, hambúrgueres e uma sobremesa maravilhosa que tinha por lá. Tudo com preço muito justo!  

Ópera de Arame

Opera de Arame - Foto: ExperiMenteSP
Ópera de Arame – Foto: ExperiMenteSP

A interação entre natureza, construção e música torna esse local incrível. Durante o dia realmente não tem o que fazer a não ser imaginar como deve ser uma peça de teatro ou um show nesse local. Vimos a passagem de som de uma banda que estava no palco e o som pode ser ouvido até do lado de fora. 

 

Parque Tanguá

Parque Tanguá - Foto: ExperiMenteSP
Parque Tanguá – Foto: ExperiMenteSP

Localizado em uma antiga pedreira, o Parque Tanguá é grandioso. Ao redor da natureza, a construção do parque foi aproveitada de forma exemplar o que uma pedreira deixou para trás.

O parque começa em um lindo espelho d’água que termina em um mirante de 65 metros de altura.  Andando por uma rua que contorna a parte superior do parque, você consegue chegar até um deck com um bar no meio do lago. A vista é para uma queda d’água que, mesmo sendo artificial, é muito bonita.

Nossa passagem por Curitiba durou apenas um dia, um sábado. No outro dia fomos até Morretes passando pela Estrada da Graciosa. Faremos um outro post sobre em breve. 🙂

Dicas

* Use o ônibus turístico, mesmo podendo descer em apenas 4 paradas, você pode ter uma visão panorâmica dos outros pontos turísticos e descartar coisas que não te agradam e, talvez, voltar para dar mais atenção a algo que gostou.

* Em seu caminho até Curitiba, evite a Serra do Cafezal, ela é pista simples, extremamente perigosa e cheia de caminhões.  Caso aconteça alguma coisa com algum caminhão, você ficará em um trânsito sem fim.

* De São Paulo o melhor caminho é ir pelo litoral – pega a Imigrantes sentido praia e no meio dela coloque no GPS que já irá indicar o melhor caminho. Na volta é só ficar atendo às placas que levam a Peruíbe e segui-las; nós deixamos passar a entrada e ficamos umas 3h em um trânsito horroroso.

*  Mesmo se a viagem for curta, vale muito a pena e se for bem programado dá para gastar pouquinho. Nessas viagens vamos de carro e nos hospedamos pelo Airbnb. Saiu mais ou menos R$250 por pessoa.

* Pesquise bastante para ir e saber tudo que pode ser feito e não fique chateado se algo ficar para trás, isso é bom! Significa que é um lugar para voltar.

* Link legal com bastante informações: http://www.turismo.curitiba.pr.gov.br/

Este slideshow necessita de JavaScript.