Armação dos Búzios em um dia gastando pouco

Quem nos acompanha por aqui sabe de todo o nosso amor pelo Rio de Janeiro. Já conhecemos a capital, Petrópolis, Ilha Grande… e agora foi a vez de explorarmos a Região dos Lagos. <3 Tiramos cinco dias das férias de fim de ano para aproveitar bem a região. Como fomos de carro, praticamente perdemos dois dias, foram 12h de viagem de ida e 9h de volta. Então, os três dias que sobraram reservamos um para cada cidade: Armação dos Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo. 

O que fazer em Curitiba, Paraná, em apenas um dia

Sabe aquele vontadezinha incontrolável de viajar? Então! Resolvemos fazer uma pequena viagem em um fim de semana para Curitiba, de carro! Loucura? Mais ou menos. Se formos esperar por feriados, férias etc, dificilmente conheceríamos lugares assim. Os planos sempre são adiados e não saímos da nossa “bolha”. Afinal, viajar agrega conhecimento e muitas histórias para contar.

Fazemos essas viagens para conhecer lugares e definir onde voltaríamos para ficar mais dias. De carro o a viagem se torna um pouco cansativa e corrida, porém ela é capaz de nos relaxar e nos faz esquecer um pouco dos problemas.  Mas fica o alerta: é importantíssimo uma boa pesquisa pré-viagem, como o que fazer, quanto irá gastar, endereços etc; quanto mais informações, melhor. A ideia deste post é colocar um roteiro bem fácil. É entrar no ônibus sem se preocupar com muita coisa.

Ônibus turístico

Ônibus Turístico de Curitiba - Foto: ExperiMenteSP
Ônibus Turístico de Curitiba – Foto: ExperiMenteSP

Paramos o carro em um estacionamento no centro próximo à praça Tiradentes, onde fica o ponto de ônibus de turismo. A previsão é que tenha um ônibus a cada meia hora, e isso também se aplica a cada parada. O passeio completo dura em torno de 2 horas sem descer em nenhuma parada. E entre 5h ou 6h se vocês descer em quatro paradas que tem direito.

O ticket é vendido pelo cobrador do ônibus e custa R$40,00, o pagamento é feito apenas em dinheiro. A cada ônibus que você pega, eles destacam um ticket.  Essa opção é muito boa para conhecer Curitiba, pois não precisamos nos preocupar com transporte, endereços e nem nada, é só entrar no ônibus e descer nos pontos escolhidos e, para continuar o caminho, pegar outro ônibus no mesmo lugar que você desceu.

Abaixo, as paradas que optamos conhecer, são as mais populares. Veja todas as 25 paradas aqui.  

Jardim Botânico

Jardim Botânico de Curitiba - Foto: ExperiMenteSP
Jardim Botânico de Curitiba – Foto: ExperiMenteSP

Parada obrigatória para quem nunca foi a Curitiba! Inaugurado em 1991, em homenagem a urbanista  Francisca Maria Garfunkel Rischbieter,  hoje é uma das paisagens mais famosas e ilustra os cartões postais da cidade.

Com um jardim bem colorido e uma grande estufa metálica ao estilo art-noveau enche os olhos dos turistas, mesmo em dias nublados. Por dentro, a estufa parece ser bem menor do que visto de fora e é repleta de plantas da mata atlântica, porém a graça mesmo fica por conta do visual externo. Vale a pena sentar um pouquinho e ficar admirando tanta beleza.

Museu Oscar Niemeyer

Museu Oscar Niemeyer - Foto: ExperiMenteSP
Museu Oscar Niemeyer – Foto: ExperiMenteSP

Como o tempo estava curto, vimos o museu, conhecido como Museu do Olho, apenas pelo lado de fora. Não entramos para ver as exposições, principalmente a exposição de quem dá o nome ao  MOM – Museu Oscar Niemeyer. Mas valeu a pena a parada, a arquitetura do museu é de causar espanto por sua grandiosidade e perfeição.

Aproveitamos a parada para almoçar numa feira gastronômica que fica em frente ao museu. Nos esbaldamos com as batatas fritas, hambúrgueres e uma sobremesa maravilhosa que tinha por lá. Tudo com preço muito justo!  

Ópera de Arame

Opera de Arame - Foto: ExperiMenteSP
Ópera de Arame – Foto: ExperiMenteSP

A interação entre natureza, construção e música torna esse local incrível. Durante o dia realmente não tem o que fazer a não ser imaginar como deve ser uma peça de teatro ou um show nesse local. Vimos a passagem de som de uma banda que estava no palco e o som pode ser ouvido até do lado de fora. 

 

Parque Tanguá

Parque Tanguá - Foto: ExperiMenteSP
Parque Tanguá – Foto: ExperiMenteSP

Localizado em uma antiga pedreira, o Parque Tanguá é grandioso. Ao redor da natureza, a construção do parque foi aproveitada de forma exemplar o que uma pedreira deixou para trás.

O parque começa em um lindo espelho d’água que termina em um mirante de 65 metros de altura.  Andando por uma rua que contorna a parte superior do parque, você consegue chegar até um deck com um bar no meio do lago. A vista é para uma queda d’água que, mesmo sendo artificial, é muito bonita.

Nossa passagem por Curitiba durou apenas um dia, um sábado. No outro dia fomos até Morretes passando pela Estrada da Graciosa. Faremos um outro post sobre em breve. 🙂

Dicas

* Use o ônibus turístico, mesmo podendo descer em apenas 4 paradas, você pode ter uma visão panorâmica dos outros pontos turísticos e descartar coisas que não te agradam e, talvez, voltar para dar mais atenção a algo que gostou.

* Em seu caminho até Curitiba, evite a Serra do Cafezal, ela é pista simples, extremamente perigosa e cheia de caminhões.  Caso aconteça alguma coisa com algum caminhão, você ficará em um trânsito sem fim.

* De São Paulo o melhor caminho é ir pelo litoral – pega a Imigrantes sentido praia e no meio dela coloque no GPS que já irá indicar o melhor caminho. Na volta é só ficar atendo às placas que levam a Peruíbe e segui-las; nós deixamos passar a entrada e ficamos umas 3h em um trânsito horroroso.

*  Mesmo se a viagem for curta, vale muito a pena e se for bem programado dá para gastar pouquinho. Nessas viagens vamos de carro e nos hospedamos pelo Airbnb. Saiu mais ou menos R$250 por pessoa.

* Pesquise bastante para ir e saber tudo que pode ser feito e não fique chateado se algo ficar para trás, isso é bom! Significa que é um lugar para voltar.

* Link legal com bastante informações: http://www.turismo.curitiba.pr.gov.br/

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O que fazer em um fim de semana por Petrópolis (RJ)

E lá vamos nós para mais um post de viagem! É um dos nossos favoritos. Mas antes de tudo, queremos contar que estamos nos organizando financeiramente para fazer viagens periódicas, gastando o mínimo possível e aproveitando ao máximo em apenas um fim de semana, e, assim, contar sobre nossos roteiros por aqui. Nosso primeiro destino foi Petrópolis, a cidade imperial do Brasil, no Rio de Janeiro. Ela fica a aproximadamente 450 km saindo de SP às 5h da manhã e chegando por volta das 11h. Listamos abaixo tudo o que fizemos por lá. 🙂

Palácio da Quitandinha

Palácio Quitandinha Foto: ExperiMenteSP
Palácio Quitandinha – Foto: ExperiMenteSP

Bem interessante a grandiosidade dessa construção. Construída nos anos 40 e criada pelo mineiro Joaquim Rolla, o intuito era tornar o maior hotel casino da América do Sul. Anos depois, com a proibição dos jogos no Brasil, o palácio não conseguiu se sustentar como hotel e, então, passou a vender seus quartos para moradores convencionais.

Infelizmente, não entramos no Palácio. Nosso objetivo era apenas descansar um pouco depois da viagem  – o Palácio fica bem na entrada da cidade, vale muito a pena dar uma parada antes de qualquer coisa e tirar algumas fotos. Objetivos alcançados graças a um lindo gramado e um lago em seu “quintalzinho”.

Mais informações: Palácio Quitandinha

Museu de Cera de Petrópolis

Museu de Cera Foto: ExperiMenteSP
Museu de Cera – Foto: ExperiMenteSP

Após nosso descanso, fomos em direção ao centro em busca do Museu de Cera. Com a entrada bem simpática e fofa, não tivemos dificuldade para entrar – não tinha nem uma pessoa sequer na fila.
O museu é superdivertido e é dividido por salas temáticas, então é uma surpresa por cômodo – preciso dar spoiler, mas prometo ser suave – e podemos encontrar o Papa João Paulo II, Pelé, Superman e algumas figuras bem legais da cultura brasileira.
Cuidado com um dos monitores do lugar, ele se fingiu de boneco de cera e assustou a Bruna (claro, demos muita risada disso hahahaha).

Mais informações: Museu de Cera de Petrópolis

Museu Casa de Santos Dumont

Museu Casa santos Dumont Foto: ExperiMenteSP
Museu Casa de Santos Dumont – Foto: ExperiMenteSP

Contrariando o Museu de Cera esse já foi um pouco mais complicado na sua entrada. “Nossa, Felipe, estava cheio? Muita fila?”. Não, na sua entrada tem uma escada de uns 30 degraus BEM ingrime, requer um pouco de fôlego. Nada demais, vai, mas a Bruna e eu subimos reclamando e chegando no topo tinha uma idosa de 92 anos toda alegre. Um tapa na nossa cara sedentária. rs 

A visita começa justamente na escada que é bem diferente (veja na galeria lá embaixo desse post). O museu em si é bem pequeno, na verdade trata-se da casa de veraneio de Santos Dumont. Uma salinha e um quartinho com banheiro, pequeno mas bem espaçoso. A casa não tinha cozinha, ele se alimentava com a comida que vinha de um hotel do outro lado da rua – que hoje é uma faculdade.

Mais informações: Museu Casa de Santos Dumont

Hospedagem na Casa da Cristina

Carinho da anfitriã Cristina. Foto: ExperiMenteSP
Carinho da anfitriã Cristina. – Foto: ExperiMenteSP

Nunca tínhamos utilizado o Airbnb. Na verdade, conhecemos há pouco tempo essa ideia e resolvemos testar o quanto antes. Então, “alugamos” um quarto em uma casa de família, próximo ao centro de Petrópolis. O quarto fica dentro da casa onde mora a família: um casal, seus 3 filhos e 3 labradores. Doidera, né? –  aliás, antes achavámos isso, agora nem tanto. rs

A experiência foi muito positiva, adoramos o quarto, a anfitriã chamada Cristina, seu marido e seus filhos foram muito atenciosos e solícitos.  Os cachorros são lindos! Em especial a Mel que chorava em troca de um chamego. <3 O quarto estava muito limpinho e arrumado e nos surpreendemos com o banheiro exclusivo para o quarto – a famosa suíte né? Hahahaha.

Depois dessa experiência, pretendemos utilizar mais essa ferramenta por esse Brasilzão e passaremos todas nossas dicas por aqui, com certeza.

Airbnb da Cristina: https://www.airbnb.com.br/users/show/80384225

Imperiale Pizzeria

Imperiale Pizzeria Foto: ExperiMenteSP
Imperiale Pizzeria – Foto: ExperiMenteSP

Depois de uma bela cochilada, saímos de casa para comer uma pizza. Encontramos esse restaurante em uma pesquisa pelo Tripadvisor, estava bem avaliada e comentada.

Legal, como a pizzaria é um pouco afastada do centro de Petrópolis, colocamos no Waze e partimos. Chegando no endereço apontado, não tinha pizzaria nenhuma… Pooxa. 🙁 Então, colocamos no Google Maps e ele nos levou até o endereço correto – que era na mesma rua que o Waze tinha apontado só que uns 500m mais adiante, ou seja, melhor ir pelo Maps. 

Pizzaria bem simples, em uma casa adaptada para ser mais preciso. Com um atendimento muito exemplar e as pizzas INCRÍVEIS de sabores bem ousados. A minha favorita foi e de alho poró com camarão e a da Bruna foi a de atum que concorria diretamente com a de queijo brie com geleia de damasco; tudo acompanhado com uma cerveja artesanal feita exclusivamente para pizzaria por um tiozinho de 80 anos que mora na mesma rua do restaurante. Bacana, né?

Saímos muito felizes e aqui reafirmo, não deixe de ir nessa pizzaria e fique atento no GPS.

Pizzeria Impreale
End: Rua Madre Francisca Pia, 189 – Quarteirão Ingelheim ||
Page: https://www.facebook.com/imperialepizzeria/

Cervejaria Bohemia

Demos uma breve passada no bar da Bohemia depois de sair da pizzaria – infelizmente, não conseguimos fazer a visita pela fábrica. Provei a cerveja Bela Rosa e a Bruna quis comer um brownie com recheio de brigadeiro, delicioso. É de uma confeitaria da cidade chamada Wilemsen.

Mais informações: http://www.bohemia.com.br/cervejaria

Catedral de Petropólis – Catedral de São Pedro de Alcântara

 

Catedral de Petrópolis Foto: ExperiMenteSP
Catedral de Petrópolis – Foto: ExperiMenteSP

A catedral é muito bonita e rende muitas fotos. Na nossa visita, não conseguimos ver muito bem os detalhes da catedral na parte de dentro, pois estava acontecendo uma missa. Na entrada, do lado direito, fica uma capela com os os túmulos de Dom Pedro, Dona Tereza Cristina, Princesa Izabel e seu marido Gastão.

Mais informações: Catedral de Petropólis – Catedral de São Pedro de Alcântara

Museu Imperial

Museu Imperial Foto: ExperiMenteSP
Museu Imperial – Foto: ExperiMenteSP

Da catedral até o museu – ou vice e versa- não deixe de observar as casinhas da Rua Tiradentes e Rua Imperatriz, são tombadas,  conservadas e conta com plaquinhas nos portões com informações sobre a história de quem viveu nessa casa.

Já o Museu Imperial é o ponto mais turístico da cidade e não é por menos, ficamos extramente encantados com a riqueza de informações e objetos. Lá nada mais é do que o antigo Palácio de verão de Dom Pedro II, com mobílias e objetos originais.

Fomos os primeiros da fila a comprar o ingresso para entrar, pontualmente, às 11h, mas não fomos os primeiros a sair. Explicamos: chega a ser emocionante a forma com que é conservada essa história. Para se ter uma ideia, todos os visitantes têm de vestir uma espécie de pantufa feita com um carpete e andar arrastando o pé por todo o museu, tudo isso para conservar o piso original do palácio.

A emoção também é tomada por alguns momentos durante o passeio; podemos ver a caneta em que foi assinada a Lei Áurea; roupas de Dom Pedro II; os tristes objetos que eram utilizado na época da escravidão e muito mais.

Mais informações: http://www.museuimperial.gov.br/

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que fazer em um dia na maior cidade de Santa Catarina: Joinville

A viagem foi motivada por conta do casamento de um amigo nosso, então aproveitamos a ida para conhecer um pouco mais sobre Joinville com a ajuda de outros amigos que moram por lá e conhecem muito bem a cidade. Ficamos hospedados no Blue Tree Towers, no centro de Joinville, gostamos muito da localização e do preço.

Aeroporto de Congonhas

Vale o alerta para quem quer ir de avião: tudo começou meio conturbado por conta dessa zoeira que estão os aeroportos em SP, pois precisamos chegar 1h30 ou 2h antes do horário do voo, ou seja 2 horas antes para uma viagem de 1 hora. rs Outra coisa que nos aborreceu muito foi a fila para despache da LATAM, estava enorme e eles não estavam anunciando as ultimas chamadas, ou seja, caos e quase perdemos o voo. Para piorar, quando estávamos sobrevoando Curitiba, o piloto nos informou que teríamos que pousar, pois Joinville estava com mau tempo para pouso. Isso é algo que quem vai para Joinville precisa tomar cuidado, por duas vezes tivemos problemas com o tempo por lá. Após uma hora dentro da aeronave, voltamos a decolar e 15 minutos depois chegamos na Manchester Catarinense.

Rua das Palmeiras

Chegamos na cidade e fomos passear.  A primeira parada foi a Rua das Palmeiras que é um corredor com árvores gigantes – as maiores que vi na vida – com placas contando a história daquele local; que teve o início em 1865 com a chegada do príncipe francês, Fréderic Brüstlein, quando a cidade ainda tinha pouco mais de 4 mil moradores – hoje está se aproximando dos 600 mil e é a maior cidade do estado de Santa Catarina. O final da rua dá em um pequeno museu bem charmoso, dedicado aos imigrantes.

 

Rua das Palmeiras Foto: ExperiMenteSP
Rua das Palmeiras, Centro – Joinville
Foto: ExperiMenteSP
Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville

Como o horário estava um pouco apertado, não entramos no museu, apenas contornamos a parte principal e nos dirigimos a uma casinha bem antiga que fica no mesmo terreno; com a mobília original e algumas plaquinhas de informação; me fez lembrar da casa da minha avó e as coisas que minha mãe conta de quando ela morava no interior. Em frente à casa, há um salão com  alguns modelos de carroças que utilizavam antigamente. Tem  carro de padeiro, outro de bombeiro e, até mesmo, uma carroça funerária. Doido, né?

Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville Foto: ExperiMenteSP
Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville
Foto: ExperiMenteSP

 

Casa antiga do Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville Foto: ExperiMenteSP
Casa antiga do Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville
Foto: ExperiMenteSP

Mirante Morro da Boa Vista

Logo na entrada do parque, onde fica o mirante, fomos desmotivados pelo guardinha ao informar que, para chegar no mirante, precisava caminhar por cerca de 30 ou 40 minutos, mas, em seguida, ele deu uma solução: esperar um ônibus e pagar 3,50 reais na passagem  para subir e descer. Mesmo assim, continuamos com preguiça e quase desistimos. Mas em um lapso de coragem, saímos correndo atrás do ônibus que havia chego e estava quase partindo e embarcamos.

O ônibus nos deixa no topo da serrinha, mas ainda tínhamos que subir uns 5 ou 6 lances de escada.
Já lá em cima ficamos maravilhados com a paisagem. Como o mirante foi reformado há pouco tempo, está tudo novinho: as muretas de segurança de vidro, o corrimão em perfeito estado. Até sentimos arrependimento da preguiça inicial. Para melhorar e colocar um tiquinho assim de adrenalina, uma parte do chão é de ferro vazado e conseguimos olhar para o que está abaixo dos nossos pés (ver na foto). Sim, não foi tão fácil e as coisas não estavam tão controladas como mostramos nas fotos, eu estava com muito medo e com vontade de sentar no chão, porém foi bem divertido! hahaha

Na volta, estávamos bem animados no ônibus, como se tivéssemos acabado de sair de uma montanha russa, até ensaiamos a antiga canção “Ô, motorista! Pode correr, que a 5ªB não tem medo de morrer”. Até começamos uma discussão sobre “o que são animais onívoros” e um amigo meu concluir que “são animais que se alimentam de onion rings“.

Felipe Pierini Coppolaro e Bruna Yuri Mirante Boa Vista Foto: ExperiMenteSP
Felipe Pierini Coppolaro e Bruna Yuri Mirante Boa Vista
Foto: ExperiMenteSP

 

Felipe Pierini Coppolaro e Bruna Yuri Mirante Boa Vista Foto: ExperiMenteSP
Felipe Pierini Coppolaro e Bruna Yuri Mirante Boa Vista
Foto: ExperiMenteSP
Marreco com repolho do restaurante Biergarten

Enchi muito o saco dos meus amigos para me levarem para comer algo típico e, então, fomos provar o famoso marreco com repolho; no mesmo prato vem um purê de maçã, um recheio feito com os miúdos do marreco, repolho e uma massa típica alemã. O Marreco lembra bastante o peru de natal só que um pouco mais forte o gosto, bem gostoso. E ainda fica muito melhor junto com o purezinho de maçã! Experimentamos também um prato que leva carne crua, o hackerpeter, leva também um ovo também cru, mostarda, cebolinha, alcaparras, picles e uma dose de conhaque. Não só lembra nosso staek tartare como é igualmente gostoso.

 

Marreco com Repolho Roxo – Marreco recheado e assado. Acompanhado com repolho roxo, spatzle ou purê de batatas. Foto: ExperiMenteSP
Marreco com Repolho Roxo – Marreco recheado e assado. Acompanhado com repolho roxo, spatzle ou purê de batatas.
Foto: ExperiMenteSP

 

Hackepeter - Carne crua temperada com especiarias, cebola, gema de ovo, salsinha, cebolinha e alcaparras. Foto: ExperiMenteSP
Hackepeter – Carne crua temperada com especiarias, cebola, gema de ovo, salsinha, cebolinha e alcaparras.
Foto: ExperiMenteSP

Restaurante Biergarten
Endereço: Visconde de Taunay, 1183 – Joinville / SC
Site: http://www.biergarten.com.br/

Carballo Hotel & Spa: parece de filme, mas fica em Campos do Jordão

Quem nos conhece sabe como não ligamos para o luxo. Já acampamos, nos hospedamos em hostel com outros dez desconhecidos num mesmo quarto, ficamos em chalé supersimples, viajamos com amigos e dividimos o quarto com a galera. Na verdade, o que importa para nós é curtir a viagem o máximo que pudermos.

Porém, desta vez decidi nos presentear com uma diária em um hotel incrível, em Campos do Jordão (para saber o que fizemos na cidade, veja este link). Fazia um tempinho que não viajávamos sozinhos e, por isso, queria algo mais romântico e aconchegante, que nos fizesse relaxar, curtir a companhia um do outro e esquecer os problemas.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Campos do Jordão tem muitas opções de hospedagens maravilhosas, mas como decidimos viajar de última hora, alguns hotéis já estavam com estadias esgotadas. Após fazer milhões de pesquisas no site Booking por valores, localização e babar com as fotos, escolhi o Carballo Hotel & Spa, que tem cerca de 1 ano e meio desde sua inauguração.

A diária da suíte com hidromassagem não foi barata (R$ 680), mas pelo o que o hotel oferece, valeu muito a pena. Em nossa hospedagem estavam inclusos: café da manhã, chá da tarde, todos os itens do frigobar (água, refrigerante, torradinhas, chocolate), acesso à área de lazer (sauna seca, sala de fitness, fogo de chão), wi-fi e estacionamento com manobrista.

Área externa

Área extrena Carballo HotelNão temos sequer uma reclamação a fazer do hotel. A área externa é maravilhosa e bem cuidada. Dá vontade de ficar horas tirando fotos de cada detalhe do jardim que possui cachoeirinha artificial, lago com peixes, orquidário e muitos bancos para desacelerar e contemplar a natureza e a calmaria do lugar. Além dos peixinhos no lago, um funcionário do local nos disse que às vezes aparecem alguns esquilinhos por lá. A vista do nosso quarto dava para o jardim e para o pôr do sol. Incrível.

Suíte com hidromassagem

Suíte hidromassagem Carballo HotelPara mim, quartos de hotel não precisam ser muito grandes. A minha prioridade sempre é o conforto e uma decoração clean. As fotos da suíte são realmente fieis ao que é ao vivo. Achei demais a ideia de a hidromassagem ser dentro do quarto e não no banheiro. É um momento de relaxamento e, por isso, nada mais justo do que ter uma vista para o jardim. A cama é superconfortável e grande. Domingo de manhã quase não conseguimos levantar para tomar café da manhã.

Café da manhã e café da tarde

Café da manhã Carballo HotelA parte favorita do Felipe ao se hospedar num lugar é o café da manhã. E por isso esse também foi um dos pontos que me fizeram escolher o hotel. A foto do café da manhã no site é de encher a boca d’água e pudemos comprovar isso pessoalmente. São diversas opções de frios, frutas, grãos, cereais, pães salgados e doces, iogurtes e sucos. Cada mesa é servida com um bulezinho de leite e outro de café. Para quem adora um ovo mexido com salsicha de manhã igual ao Felipe, o hotel tem essa opção. Eu amei o mini pão francês com queijo e o pão de queijo com escarola. Para quem tem intolerância à lactose ou é vegano, eles têm opção de leite sem lactose ou de soja. O café da tarde é uma versão reduzida do café da manhã, mas é uma delícia também.

Áreas de lazer
Infelizmente não conseguimos aproveitar as áreas de lazer que estavam inclusas na nossa hospedagem, como a sauna seca, o fogo de chão e a academia. O hotel também tem outros serviços que são cobrados a parte, no caso a massagem e a jacuzzi.

 

Carballo Hotel & Spa
Endereço: Avenida Pedro Paulo, 1600Campos do Jordão, São Paulo
Site: http://www.carballo.com.br/

Nosso roteiro de fim de semana em Campos do Jordão

Estávamos sentindo falta de viajar, mas como a grana está curta e não temos feriados de sexta ou segunda nos próximos meses, resolvemos, então, fazer uma viagem para um lugar próximo de São Paulo, onde pudéssemos relaxar e curtir uma viagem a dois. Escolhemos numa quinta-feira para onde iríamos, no sábado seguinte de manhã estávamos na estrada rumo a Campos do Jordão, que fica a cerca de 180 quilômetros de São Paulo.

Viagem barata e próxima de SP: Cidade Socorro é repleta de atrações turísticas

Estávamos querendo aproveitar um pouco o friozinho a dois. Após uma pesquisa rápida no Google como “lugares viajar baratos SP”, optamos pela cidade de Socorro. Além de ter uma pegada de serra, a cidade possui vários atrativos voltados para a aventura. A ideia seria passar um final de semana inteiro. A programação era a seguinte: no primeiro dia conhecer a Gruta dos Anjos e acompanhar o pôr do sol na Pedra Bela Vista. Já no segundo dia, curtir em um dos inúmeros parques que tem por lá.

Nos hospedamos na Pousada e Mini Fazenda Vila Davero. Fizemos a reserva pelo site Booking algumas semanas antes. Ao chegar no lugar a caseira muito simpática nos recepcionou e nos deu dicas do que fazer pela cidade. A vista da varandinha do chalé era linda: tinha um lago e montanhas verdinhas.

Praia Lopes Mendes está entre as dez mais belas do mundo

Foto: ExperiMenteSP
Foto: ExperiMenteSP

Pouco depois de sair a lista de praias mais bonitas do Brasil, segundo a Tripadvisor, tivemos a oportunidade de conhecer a Ilha Grande, Angra dos Reis (RJ). A Ilha contempla nada mais nada menos do que a 2ª colocada da lista, ficando atrás apenas da Baía do Sancho, em Fernando de Noronha.
O acesso à praia é através de uma trilha, que começa na Vila do Abraão – vila onde a grande maioria fica hospedada. Essa opção agrada muito quem curte andar, podendo durar 2h ou até 3h dependendo do ritmo.