ExperiMente Ver: Pequena Miss Sunshine

“A real loser is someone who’s so afraid of not winning he doesn’t even try.”

Uma família nada convencional: o pai desenvolveu um método de auto-ajuda que é um fracasso; o filho mais velho fez voto de silêncio; o cunhado é um professor suicida; e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. Até que a filha caçula, a desajeitada Olive (Abigail Breslin), é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas pré-adolescentes. Durante três dias eles deixam todas as suas diferenças de lado e se unem para atravessar o país numa kombi amarela enferrujada.

O que ele achou: Um filme que conforta todos que têm uma família maluca. Mesmo com o teor politicamente incorreto, o filme é ótimo para assistir em família e ver que problemas não são exclusividades. Sabe aquela história inteligente e divertida? Com um humor ácido – talvez não agrade quem procura uma comédia propriamente dita -, o filme faz algumas menções filosóficas e críticas sociais interessantes.

De propósito ou não, o filme deixa um ar de “briga” entre os defeitos e qualidades de cada personagem. E, incrivelmente, faz chegar à conclusão que todos ali são admiráveis, independente de seus problemas. E já que o cinema é um espelho da vida real, é um grande aprendizado. De forma despretensiosa a forte crítica e uma das cenas do filme foram as coisas que mais me marcaram. Sem contar aquela kombi: histórica.

O que ela achou: Um filme único cuja história ousada conseguiu cativar o público. Com certeza o destaque para o sucesso é a pequena atriz Abigail Breslin – que hoje em dia já não é mais pequenina. rs O filme é uma afronta ao conservadorismo e aos concursos de beleza infantis que fazem das crianças mini-adultas fúteis. A mistura de drama com comédia que beira o sarcasmo e um enredo politicamente incorreto são fatores que tornam a obra ainda mais interessante e menos clichê. 

Indicado por diversas premiações de cinema, o filme foge daquele estereótipo de obras hollywoodianas e, mesmo assim, conquistou o Óscar de melhor roteiro original e ator coadjuvante (Alan Arkin). Prêmios merecidos por sua originalidade e coragem. Se dizem que essa história é de uma família perdedora, para mim eles são vencedores. Exatamente por causa de seus “defeitos”, segundo o senso comum. 

Assista ao trailer:

Lançamento: 20 de outubro de 2006 (1h40min)
Dirigido por: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Atores principais: Abigail Breslin, Greg Kinnear, Paul Dano
Gênero: Comédia , Drama
Nacionalidade: EUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *