Roteiro de Brotas em um fim de semana

“Oferecemos casa, comida e roupa suja”. Esse é o lema da cidade de Brotas, no interior de São Paulo (cerca de 260 km de distância da capital). E isso explica tudo: a deliciosa comida caipira é bem presente, a parte hoteleira é muito aquecida e a roupa suja fica por conta dos inúmeros esportes radicais em que temos contato com rios, cachoeiras e barro.

Curtimos muito viagens em que a natureza é a protagonista, e Brotas sempre esteve em nossa lista de cidades desse tipo para visitar. Até que, por força do destino, recebemos um convite para uma press trip para conhecer a cidade. E a experimentamos por vários ângulos: por terra, passeando pela cidade; pelo ar, em tirolesas; em cima d`água, na prática do rafting e, até mesmo, em baixo dela após um belo mergulho no rio.

 

O QUE FAZER?

Acordamos no sábado bem cedo e fomos direto para o Viva Brotas Ecoparque  (http://vivabrotas.com.br/). Lá já estavam programados  uma atividade de manhã, pausa para o almoço e duas atividades à tarde.

Viva Brotas Eco Parque – Foto: ExperimenteSP

Claro que, de início, estávamos com um pouco de medo, mas, desde o primeiro contato com os instrutores dos passeios, esse medo foi diluindo de uma forma muito engraçada. Os caras são demais! Eles brincam muito e são cheio de querer dar uma potencializada no medo com piadinhas do tipo: ‘’Podem ficar tranquilos, estava revisando os métodos de segurança agora há pouco no YouTube’’. Essas brincadeiras nos fazem rir e, ao mesmo tempo, tranquilizam. Mas a equipe também fala muito sério quando é preciso, principalmente em relação à segurança dos equipamentos na hora em que a atividade tem início, deixando claro que não há motivo para preocupação.

Cachoeirismo

O cachoeirismo é um rapel numa cachoeira de 47 metros. :O  Quebramos alguns receios que sempre tivemos com o rapel, que é aquele lance de ficar “sentado no ar”. Mesmo aprendendo um pouco da técnica antes de descer a cachoeira Santa Eulália, não há com o que se preocupar, pois é muito seguro. Mesmo se fizer qualquer coisa errada, o mecanismo de segurança é totalmente de confiança.  Por exemplo, em um momento precisei tirar as duas mãos das cordas e, mesmo assim, não saí do lugar.

Além da extrema adrenalina e do gostoso banho de cachoeira, o ângulo de visão do meio dela para baixo é algo inesquecível. É comum termos a visão do pé ao topo, mas do meio é incrivelmente impressionante.

Superbike

A Superbike é uma mescla de tirolesa com bicicleta. Você precisa pedalar de uma montanha a outra conectado em um cabo de aço, o percurso tem 600 m de distância, 300 m para ir e mais 300 m para voltar, isso inclui duas decidinhas, duas subidas e uma curva, tudo isso feito a 70 m de altura. Dá até para ver a Cachoeira Santa Eulália, pela qual descemos de rapel de manhã.

A Bruna foi na maior tranquilidade da vida e eu muito tenso. O lance desse passeio é curtir altura, uma vez que a velocidade do passeio depende exclusivamente de você, e, na maioria das vezes, o passeio não é rápido o que é o ideal para contemplar uma paisagem panorâmica.

Supervoo

Cara, não tenho muitas palavras para descrever esse passeio que não sejam do tipo: eletrizante, emocionante, extraordinário. Essa foi umas das sensações mais radicais da minha vida, aventura pura e verdadeira mesmo, saca?

Eles dão para vestir um macacão especial para dar a sensação de voar como um pássaro, deitado, com os braços abertos. A distância percorrida é um pouco mais de 1 km, em dois lances, um de 800 m e outro de 500 m, isso em uma velocidade que pode atingir 70 km/h a 100 m do solo.

‘’Nossa, Felipe, mas você ficou com medo da bicicrêtá e não ficou desse?’’. Sim, não tem o porquê já que a altura é a mesma, só que a velocidade e adrenalina acho que me deixa mais confortável. Entre os três passeios, esse foi o que a Bruna e eu mais curtimos.

Rafting

O que dizer do rafting que conheço pouco, mas já considero pacas? Fizemos o passeio no domingo bem cedinho, desta vez foi com a Ecoação, que fica no centro de Brotas . Lá eles dão instruções e equipamentos de segurança, feito isso, embarcamos em um ônibus que nos deixa no rio Jacaré-pepira. Antes de começar a atividade de vez, fizemos um divertido aquecimento que envolvia coordenação ao ouvirmos os comandos do instrutor, que são muito usados na atividade: frente, ré e piso.

De início, imaginamos que o remo era só de enfeite, mas não, o tempo inteiro vamos remando para frente ou para trás. Tudo sob o comando de um instrutor que vai atrás, conduzindo e ordenando. Ele tem um incrível domínio sobre o bote e do rio. Os caras são bons  demais; carismáticos e ao mesmo tempo que brincam muito, passam uma tranquilidade e seriedade muito grande.

O percurso é bem radical, ao longo de 10 km, tem bastante corredeiras que dá para curtir bastante. Ao ouvir o comando ‘’piso’’ é que sentamos dentro do bote e nos preparamos para quedas d’água, nas quais molhamos até nossa alma. Em um certo ponto só rio, somos liberados para dar um mergulho e curtir uma flutuação, praticamente deitamos na água e só deixamos o rio nos conduzir.

A segurança do esporte é algo bem interessante e visível, desde o início foram passadas instruções dos casos mais bobos que podem acontecer até mesmo casos extremos, porém percebemos que é bastante raro alguém cair do bote.

Saimos com a visão de que o rafting une muitas coisas que gostamos: natureza, nadar, velocidade e muita diversão!

ONDE COMER?

Se você fechar passeios com o Viva Brotas Ecoparque, lá mesmo é oferecido um delicioso almoço, com buffet para todos os gostos. Dá para fazer um pacote de almoço com atividades ou pagar a parte se você quiser apenas almoçar. E o melhor de tudo é a vista que se tem lá de cima, muito relaxante, ainda mais depois de sair de um passeio repleto de adrenalina no corpo. hahaha

O Bar Brotas é ideal para visitar à noite. Depois de tirarmos um cochilo na pousada, saímos para comer e beber alguma coisa. O bar é todo decorado com objetos que remetem ao turismo de aventura da cidade. Pedimos apenas um aperitivos e drinques, mas o bar é bem aconchegante para quem quiser ficar a noite toda por lá.

Não deixe de provar o famoso sorvete de queijo com cobertura de goibada, da Especialeria. Esquecemos de tirar foto, mas garantimos que é bem gostoso! 🙂

ONDE SE HOSPEDAR?

Fizemos um post somente para a pousada na qual nos hospedamos. Veja aqui os detalhes sobre a Pousada Pé na Terra.

Pousada Pé na Terra – Foto: ExperimenteSP



Valores:

Cachoeirimo
Preço: R$ 98 por pessoa
Horários: 9h e 14h (sab, dom e feriados) / 11h e 15h (seg a sex)
Restrições: altura mínima 1,20m
Duração: 2 horas
Dificuldade: moderada
www.vivabrotas.com.br

Superbike
Preço: R$ 98 com visita em cachoeira cortesia
Horários: sob consulta
Restrições: mínimo 1,40m de altura / máximo 140 kg – Não é permitido carregar câmeras e celulares, que podem cair durante o voo
Dificuldade: baixa
www.vivabrotas.com.br

Supervoo
Preço: R$ 108.
Horários: 9h, 11h, 14h e 16h.
Restrições: peso mínimo 40 kg / peso máximo 100 kg
Dificuldade: baixa
www.vivabrotas.com.br

Rafting
Preço: R$ 170,00
Horários: 10h e 14h / 8h, 12h e 15h30 verão, feriados e férias
Restrições: ter no mínimo 1,20 m de altura ou 12 anos
Duração: 3h a 4 horas
Obrigatório: uso de calçado
Serviços opcionais: aluguel de calçado, jaqueta anorack e foto
http://www.ecoacao.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *